Tragédia climática no Rio Grande do Sul na pauta do Congresso Internacional de Limnologia

37ª edição realizada em Foz do Iguaçu marcou a volta do evento ao Brasil após 30 anos

As fortes chuvas no Rio Grande do Sul, que vem acontecendo há 15 dias, já causaram — até agora — mais de R$ 8,4 bilhões em prejuízos nas 447 cidades afetadas. Além do aumento contínuo no número de mortes e desaparecidos, as enchentes foram amplamente discutidas no Congresso Internacional de Limnologia que encerrou na última sexta-feira (10), em Foz do Iguaçu.

Para a presidente da Associação Brasileira de Limnologia, Luciana Gomes Barbosa, o principal legado do Congresso é a responsabilidade científica junto à população. “Essa tragédia climática é sinal de que precisamos atuar mais fortemente e a ciência não pode ficar limitada às universidades e instituições se esse conhecimento não tiver efeito necessário para transformação das comunidades”, considerou. Ela também pontuou a necessidade de a Associação ter mais voz junto às organizações federais, estaduais, municipais “para discutir como podemos mitigar os efeitos das mudanças climáticas e reduzir todos esses efeitos que as cidades do Rio Grande do Sul estão enfrentando”.

O fato de a 37ª edição estar de volta ao Brasil depois de uma ausência de 30 anos também foi pontuado pela dirigente. Segundo Luciana, o Brasil assumiu uma posição de liderança junto à América Latina e Caribe para trazer o evento e planejar o evento junto com as empresas e a estrutura de Foz do Iguaçu. “Deixamos uma mensagem muito forte de que nós temos uma capacidade de organização, estrutura e também uma imensa capacidade científica, pois os cientistas da nossa região são extremamente competentes e apresentam cada vez mais soluções neste cenário que estamos vivendo e isso nos deixa muito orgulhosos”, admitiu.

O Congresso também recebeu elogios do alemão Thomas Mehner, que durante o evento ocupava a presidência da SIL (Sociedade Internacional de Limnologia). “Agradeço ao suporte do Visit Iguassu que nos auxiliou na organização do congresso e aos profissionais que trabalharam para que o evento fosse o melhor possível”, mencionou Thomas.

A atuação do Visit Iguassu foi decisiva para captação do evento e os organizadores também contaram com o apoio da instituição. Outro aspecto é que o Congresso, realizado de 05 a 09 de maio, teve várias empresas associadas ao Iguassu CVB como fornecedoras. Entre as contratações estiveram serviços especializados para eventos como montadoras, audiovisual, cenografia, fotografia, receptivo, espaço e assistência para eventos.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn

Posts relacionados

Visit Iguassu é finalista do Prêmio Live 2024

Premiação reconhece mercado brasileiro de agências, empresas e profissionais especializados na organização de eventos corporativos O Visit Iguassu está entre os finalistas do Prêmio Live 2024 na categoria Cidade ou