Se o Cataratas Day pudesse ser resumido em um único sentimento, certamente a melhor palavra para descrever seria: Gratidão. Era isso que se via na feição dos milhares de pessoas que lotaram os ônibus que conduziram a população até o Parque Nacional do Iguaçu durante todo o dia de ontem (11). Gente de todas as idades. Moradores de Foz do Iguaçu que nunca haviam comtemplado o principal atrativo turístico de sua cidade ou mesmo pessoas que foram pouquíssimas vezes às Cataratas e que viram no Cataratas Day 2015 uma oportunidade de visitar um dos cenários mais procurados por turistas do mundo inteiro.

A segunda edição do Cataratas Day certamente entrará para a história das ações em conjunto realizadas no turismo iguaçuense. O Dia das Cataratas, 11 de novembro, contou com uma campanha voltada para as mídias sociais, comemorando mais um aniversário da eleição das Cataratas do Iguaçu com uma das Novas 7 Maravilhas da Natureza. Com a utilização da hashtag #cataratasday2015, o que se viu pela rede mundial de computadores foi uma enxurrada de compartilhamentos de fotos e vídeos do atrativo.

Para marcar ainda mais a data, a edição 2015, convocou os moradores de Foz do Iguaçu e região para buscar mais um título para as Cataratas do Iguaçu: o recorde nacional de selfies (autorretrato) em um único atrativo turístico no mesmo dia. E ele veio auditado pela RankBrasil - Sistema de Homologação de Recordes Brasileiros, com 2587 registros.

União e força

Mais que um simples recorde, a condução da população se mostrou uma grande ação de integração social. Nos quatro pontos de partida (Gramadão da Vila A; Bosque Guarani; Praça da Bíblia; e da praça em frente ao antigo Boulevard - hoje Uniamérica) o público foi muito maior que o esperado. A expectativa era de cerca de mil pessoas, mas os ônibus colocados à disposição da população levaram 2.524 passageiros até o Parque Nacional do Iguaçu, e exigiu um envolvimento de dezenas de pessoas e empresas para que todos tivessem a oportunidade tirar suas selfies nas passarelas das Cataratas.

Entidades como o Iguassu Convention & Visitors Bureau – ICVB, envolveram seus associados e foram capazes de colocar um dos principais atrativos mundiais novamente com um título até agora único.

Como nasceu o título

O recorde de selfies vem tomando corpo desde 2012, quando o então presidente do ICVB, Mauro Sebastiany, apresentou a ideia e entrou em contato com o Guinness World Records – livro mundial de recordes. Na época, devida a grande complexidade para a realização, o projeto foi arquivado para ser realizado futuramente.

Na conquista de ontem, a proposta abraçada pelo Fundo Iguaçu, ICVB, Secretaria Municipal de Turismo, Polo Iguassu e outras entidades, conseguiu estabelecer uma marca nacional e deu expertise para uma possível nova etapa. “De uma ideia, mobilizamos quase uma cidade toda. Demostramos aqui a importância da união entre as entidades o envolvimento de seus membros, e ainda pudemos dar oportunidade a população de passar um dia de turista, conhecendo aquilo que milhares de visitantes presenciam o ano todo. Todos ficamos na torcida para que seja a primeira etapa e que ano após ano, possamos colocar nossa cidade em destaque nos mais diversos cenários”, comentou Sebastiany enquanto acompanhava o embarque de cerca de 500 pessoas no Bosque Guarani.

Animação compartilhada até por quem veio a Foz para avaliar. Luciano Cadari, fiscal do RankBrasil, disse que registrar esse novo tipo de recorde “foi genial”. Segundo ele, “é uma forma saudável de competição para estimular o turismo no Brasil”.

 Mais que positivo

Segundo dados do Parque Nacional do Iguaçu, o dia 11/11, registou 6.684 visitantes entre turistas e moradores. Desses, 2775 turistas eram das mais diversas procedências, principalmente do Brasil e Argentina, mas também da Alemanha, Estados Unidos e Colômbia. Para todos, as Cataratas ofereceram o espetáculo de uma vazão duas vezes superior à normal, que é de 1.500 metros cúbicos de água por segundo.

Para o presidente do Fundo Iguaçu, Gilmar Piolla, o destaque foi a aceitação dos moradores de Foz e o envolvimento de todos, entidades, empresas e imprensa. “A população recebeu bem a ideia, entrou no clima e compareceu em número acima das expectativas. As Cataratas têm esse poder mágico de mobilizar as pessoas, tanto no Brasil como na Argentina”.