Entidades e profissionais da hotelaria e atrativos turísticos do Brasil, Paraguai e Argentina atuam em conjunto para alavancar o potencial da região que abrange os três países

 Há cerca de oito meses, profissionais da hotelaria, atrativos turísticos e entidades de Foz do Iguaçu vem debatendo em conjunto com instituições e empresas ligadas ao turismo de Puerto Iguazú (Argentina) e Ciudad del Este (Paraguai) estratégias para promoção deste Destino regional. Desde então, o grupo tem trabalhado em um planejamento com ações direcionadas e que resultem no crescimento do setor nos três países. O projeto, denominado “Visão Iguassu”, busca atrair mais viajantes nacionais e internacionais, por meio de um planejamento estratégico com ações de médio e longo prazos. O trabalho conta com o apoio de consultorias internacionais especializadas em planos de marketing de destinos, levantamento de melhores práticas no setor de turismo e branding.

Em sua terceira fase, realizada nos dias 13 e 15 deste mês, os participantes discutiram sobre como evoluir positivamente a marca do Destino. Baseada nos argumentos de que ela deve ser inspiradora aos viajantes do mundo inteiro, a visão definida para os próximos 10 anos é de que “o Destino Iguassu será sustentável, de visita obrigatória, experiências revigorantes de água e natureza e culturas que vivem em harmonia em três países”.

Poderoso por Natureza

Outro reflexo do encontro foi a essência da marca que passará a ser “Iguassu. Poderoso por Natureza”. As versões em inglês “Iguassu. Powered by Nature” e “Iguassu. Poderoso por Naturaleza”, e espanhol, respectivamente, demonstram a necessidade de atuação mais forte no mercado internacional, por recomendação dos consultores.

O conceito levou em conta elementos como água, sustentabilidade, aventura, diversidade cultural vivendo em harmonia e que resulta em uma experiência autêntica. O consultor Greg Klassen explica que a ideia de poder é uma representação significativa da força e a ideia da natureza é igualmente poderosa como um impulsionador significativo das viagens. A combinação de poder e natureza resulta em um destino forte e repleto de aventura e emoção. “Uma visita às imponentes e poderosas Cataratas, uma maravilha da natureza, é também uma oportunidade para se impressionar com a própria força da natureza”, enfatizou Greg.

Integração

Do ponto de vista do presidente do Iguassu CVB – Visit Iguassu, Jaime Nascimento, esta foi uma das etapas mais importantes do Visão Iguassu, “pois discutimos o conceito da marca do Destino que irá refletir a forma como pensamos e divulgamos o Destino daqui para frente”. Outro aspecto apontado por Nascimento foi de que o projeto consolidou a necessidade de atuação conjunta dos três países. “Devemos nos integrar com mais força, afinal de contas fazemos parte de um mesmo Destino”, observou.

Metas

Nessa fase do projeto, foram estabelecidas metas para o Destino até 2028. Entre elas, aumentar o número de visitantes em 25%; que os visitantes internacionais representem de 30 a 50% dos visitantes regionais (Brasil, Argentina e Paraguai); e, ampliar para mais dois dias o tempo de permanência do turista. Atualmente, os brasileiros permanecem, em média, três dias, enquanto os estrangeiros ficam dois dias na região, porém, temos potencial para muito mais, principalmente os turistas que gostam de aventura, os millennials e também os visitantes que procuram destinos sustentáveis. Queremos que as pessoas olhem ao redor e vivam a experiência do Destino, que é forte e repleto de aventura”, reiterou o presidente do Visit Iguassu.

Para alcançar esses resultados, um total de 18 estratégias foram definidas nessa etapa, assim como foram estabelecidas as instituições que devem liderar a execução de cada uma delas. “Esse é um projeto do Destino, por isso vamos envolver diferentes instituições nos setores público e privado”, explica Alexandre Pacheco, coordenador de turismo da Itaipu Binacional. Entre as principais ações está a criação de um comitê para regulamentação da acessibilidade e mobilidade, envolvendo todos os países do Mercosul, para a implementação de um corredor de vistos gratuitos e expressos nas fronteiras do Brasil, Paraguai e Argentina. A exigência de visto de entrada é a principal barreira para atração de turistas. De acordo com a Organização Mundial do Turismo (OMT), a facilitação de viagens pode gerar um aumento de até 25% no fluxo entre os destinos.