Um público aproximado de 2.600 pessoas assistiu ao Bolshoi Brasil in Concert no último fim de semana em Foz do Iguaçu. Na esteira das comemorações dos 43 anos da Itaipu Binacional, a Companhia Jovem da Escola de Teatro Bolshoi, única filial do Bolshoi de Moscou, símbolo do orgulho russo, fundado em 1776, fez quatro exibições no Cineteatro dos Barrageiros.

Este foi o terceiro ano seguido em que o Bolshoi se apresentou na cidade. Desta vez, sob os refletores e com um figurino impecável, os 18 bailarinos – sendo 17 brasileiros e uma paraguaia – fez coreografias de balés de repertório e trechos de O Quebra-Nozes com vigor e a suavidade que são suas marcas registradas. Do total do elenco, 11 integram a Companhia Jovem do Bolshoi e sete são alunos da Escola do Teatro Bolshoi instalada em Joinville, Santa Catarina.

Tempo livre - Fora do palco, os bailarinos procuraram ao máximo aproveitar o tempo livre em Foz. No intervalo dos quatro espetáculos, eles estiveram em três dos principais atrativos do Destino Iguaçu: a Itaipu, as Cataratas e o Parque das Aves. Aos 19 anos, a bailarina Luana Abreu, de Recife, fez sua estreia na Companhia Jovem e na viagem pôde conhecer as Cataratas. “Esse lugar é maravilhoso, eu nunca tinha visto nada parecido”, elogiou.

Com apoio do Iguassu Convention & Visitors Bureau (ICVB) e seus mantenedores, antes de embarcar de volta a Joinville, os bailarinos do Bolshoi Brasil visitaram o Parque das Aves, uma atração turística que encanta milhares de visitantes ao ano. “Foi incrível, nunca tinha passado por uma experiência assim com um contato tão próximo com as araras e tucanos”, contou Tayná Holanda. Para Manuela Medeiros o passeio a esse santuário de aves também foi inesquecível. “Aprendi que aqui elas podem encontrar um refúgio que oferece resgate, abrigo e recuperação. Me senti livre assim como os pássaros e a gente pode comprovar o quanto a natureza é perfeita”, disse a bailarina.

Única extensão estrangeira do Balé Bolshoi, a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil completou 17 anos de existência. São 228 alunos, vindos de 22 estados brasileiros e dois países. A instituição celebra uma trajetória vitoriosa no seu objetivo de formar bailarinos, especialmente aqueles vindos de famílias humildes.